Espero que seja útil. Partilha com uma amiga.

Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Como está essa paixão pelo teu negócio?

Volta ao momento em que decidiste iniciar o negócio!

Lembras-te do porquê?
Como te sentias nessa altura?
Quais eram os teus sonhos?
Quais eram as tuas expectativas?

Eu sentia-me capaz de tudo mas sem noção do que realmente é criar e/ou ter algo nosso. Tu tinhas noção?

Sabes, percebi e aprendi com a minha mentora que, efectivamente, eu tinha uma visão romântica do que era ter um negócio.

O que eu quero dizer com isto?

Na minha mente, bastava eu criar um plano, fazer meia dúzia de coisas e pronto voilá.

Pensava eu, que dizia nas redes sociais o que fazia, publicitava e as coisas aconteciam, mas com o tempo percebi que não funcionava assim …. Quer dizer, dependendo do caso até pode ser assim, cada caso é um caso, mas no meu, em específico, não ia funcionar dessa forma.

Eu iniciei um projeto, alinhado com aquele que eu acredito ser o meu propósito, porque não haveria de dar certo?

Propósito = paixão + competências = Negócio = Realização

Fórmula de sucesso, sim, mas a esta fórmula temos de acrescentar mais uns pózinhos mágicos para ganharmos dinheiro com a coisa. Ora não vou ser hipócrita, eu queria ser livre, trabalhar para mim, à minha maneira mas também queria, e quero, ganhar dinheiro com isto. ( e tu? )

Quando decidi dedicar-me a full-time ao meu negócio, as coisas não correram bem de início.
Comecei a sentir-me distante, “desapaixonada” e comecei a questionar a minha decisão.
Porquê?

Basicamente, entrei no campo do “eu tenho de fazer isto, tenho de fazer aquilo”. Sentia-me obrigada.

Fui-me “desapaixonando” pela minha ideia e deixei de me sentir conectado com o negócio.

Até que percebi que não era a única a sentir-me assim …

Ora, faço sessões em grupo com empreendedoras, que “precisam” de definir o propósito do seu negócio.

Aliás, já tinham um propósito (do negócio) definido, no entanto com o avançar do negócio, com a obrigação do “tenho que fazer”, esqueceram-se!

No decorrer das sessões percebi que estavam muito focados no que o cliente queria ou no que queriam dar ao cliente; não tinham uma visão concreta daquilo que realmente querem alcançar ou de quem são dentro do projecto.

É extremamente importante criar e estabelecer esta conexão com o negócio senão corres o risco de te transformar “escrava” da obrigação do fazer e não do prazer de estarmos a criar algo bom na e para a tua vida.

Também te sentes assim?

Sabes que um propósito pessoal é diferente de ter um propósito de um negócio, podem estar alinhados, sem dúvida, mas são distintos.

Devemos explorar e desenvolver a consciência de ambos os propósitos.

Percebi dentro das sessões que elas sentiam-se da mesma forma que eu, ou seja, estavam focadas na obrigação de fazer e não daquilo que lhes faz sentido, efetivamente, fazer.

Muitas vezes, queremos iniciar um negócio com a ideia de que depois podemos fazer o que nos apetecer, NIM!!

Imagina a lida da nossa casa, existem coisas que gostamos de fazer e outras não.

Olha, eu gosto de limpar bem a cozinha mas já não gosto tanto de tratar da roupa.

Tenho três hipóteses:

  1. Mesmo não gostando do que faço, mesmo que me sentindo obrigada, percebo que preciso fazer para ter roupa para usar e avanço!
  2. Posso simplesmente não fazer!
  3. Ou então, posso delegar!

O mesmo acontece com o negócio!

Vai acontecer que tenhas de fazer determinadas tarefas que não gostes tanto mas que sejam certas para o nosso negócio.

Sabes o que se adequa ao teu?

Fazer o certo para o negócio, não é fazer o que outros fazem mas sim aquilo que é certo para o teu e que vai servir a tua vida, principalmente no que diz respeito a implementação de estratégias!

Imagina, no meu caso é importante, eu fazer vídeos em directo ( EU ODIAVA ESSA POSSIBILIDADE) mas é uma forma de:
– Criar a minha autoridade.
– Criar envolvimento.
– Transmitir a minha mensagem.
– Chegar ao meu cliente ideal.
Em vez de ver, os directos, como uma obrigação, tive que começar a pensar, perceber a importância e o impacto no meu desenvolvimento enquanto mentora e empreendedora

Decidi fazer e avançar porque me fez sentido!

Isto tudo para te dizer o quê …

O negócio tem que servir a nossa vida e não o contrário.

Se sentes que algo não está bem:

Analisa se estás a tomar as decisões certas e não as decisões que supostamente deves tomar porque é o melhor.

Define o propósito do teu projecto.
Define objectivos concretos, viáveis e adequados ao teu momento.
Descobre quem és dentro do teu projecto.

Se puderes, procura um mentor.

Tu e o negócio são um! Um serve o outro!

Acima de tudo, reaviva a paixão que te levou a iniciares essa caminhada, no entanto não te esqueças, nada é estanque, tudo muda.

O projeto de negócio, nós, está à nossa volta.
Talvez agora queiras fazer diferente mas então avança sem nunca te esqueceres de ti nesse processo.

Acima de tudo mereces ser feliz e realizada enquanto empresária!

Consultoria e Mentoria para Empreendedoras

Nós coletamos e processamos seus dados, conforme o GDPR e nossas Políticas, para prestar nossos serviços e permitir o funcionamento adequado deste site.